Bloguto

Meu passa tempo…

Porque nos lesionamos?

Ao chegar ao escritório hoje pela manhã, vi uma mensagem de um amigo corredor dizendo o seguinte: “só me faltava essa… lesionado (de molho)”.  Quando comecei a correr, escutei inúmeras vezes as pessoas do meio falando sobre lesões.  O curioso é que sempre ocorriam da mesma maneira as principais lesões nos corredores.  Poderíamos deixar de lado os tombos, tropeços, atropelamentos e torções, acidentes em geral.       Comecei a treinar sem ajuda de um treinador ou sequer algum tipo de literatura. Coisa de amador mesmo ou de pessoa pão dura? Acredito que de amadorismos mesmo, até mesmo porque já comprava algumas revistas e tenho acesso a sites especializados que disponibilizam algum tipo de literatura para iniciantes do meio.  Então me pergunto: porque nos lesionamos com tanta freqüência ou pelo menos uma vez a cada ano? Não sei, ou talvez eu não possa explicar pelos amigos corredores e até mesmo gostaria de ouvir ou ler sobre as opiniões de vocês.

Entusiasmo, empolgação, superação ou falta de planilha, qual seria a resposta? Talvez não seja correto falar que esses são os verdadeiros motivos das lesões nos atletas amadores. Tenho que confessar que o ato de correr, para mim é muito gratificante e um vício. Nem mesmo retornei aos meus treinos e já sinto falta quando não corro.  Durante as férias de algumas acessorias vi corredores treinando de maneira aleatória e sem sequer se preocupando sobre excessos diários ou concentrações de esforços nos membros inferiores do corpo.

Haviam corredores que nem mais se alongavam – seria entusiasmo, empolgação, superação ou a falta da planilha? Acho que não, seria sim uma loucurarun! (Adorei o Run no final).  Uma lesão raramente é aflorada do nada e sempre dá sinais antes da avalanche acontecer. O problema que nós corredores sentimos dores o tempo todo e na maioria das vezes não damos atenção no início da contusão, achando que é só uma dorzinha e que irá passar logo.  Nosso grande erro é ignorar as pequenas dores, principalmente as repetitivas e localizadas. Foi assim comigo, vinha sentido dores nas tíbias e nos pés. Hora ficava mais forte nos pés, hora nas tíbias e tudo era passageiro pensava.

Outro nosso grande erro é a automedicação. Corredor tem mania de tomar um analgésico e ou um antiinflamatório, assim mascaramos as lesões ou adiamos seu agravamento.  Confesso que poderia ter evitado, mas na medida em que eu corria, meu corpo pedia mais e mais…  Esse ano eu prometi que não vou correr todas e sim algumas. Logo no início ao meu retorno, Eduardo Rocha, um corredor aqui de BH, me perguntou: você não aquece seu corpo? – Não! Respondi a ele. No dia seguinte já mudei meus hábitos e comecei a aquecer meu corpo com uma caminhada e logo depois alongamentos. Ao final do treino faço os alongamentos também e vou reduzindo meu ritmo aos poucos. Vou manter meu foco e para isso vou começar a treinar com Iuri Lage da BHRace.  Nunca tive um treinador e nem corri com planilhas, mas se for para meu bem, assim o farei.  Espero que esse post sirva para alguma coisa.  Abraços

Anúncios

12/01/2010 Posted by | Correr | 19 Comentários