Bloguto

Meu passa tempo…

Um atleta diferente

      Madrugada fria, e estava pensando em elaborar um post. Um post totalmente diferente dos outros, não queria um simples relato como em minha vida. Então me perguntei, por quê teria que ser meu? Poderia ser de outra pessoa, mas que fosse digno de se relatar. Então veio à mente um homem simplesmente incrível, o meu amigo Luis Edmundo, mais conhecido como “Di”! Meu irmão, meu colega, meu analista, um do melhores amigos de infância que tenho e um atleta diferente. O Di é um cara diferente de todos os amigos de infância, eu o conheci quando tinha uns oito anos de idade, ele morava ao lado da casa do meu pai. Estava eu no muro da casa, quando vi o Di e sua mãe subindo a rua com uma bicicleta “Caloi Cross” amarela, novinha… novinha, até aí tudo bem, mas o que vocês não sabem é que o Di é deficiente visual, ou seja, cego, cegueta, ceguinho… como ele mesmo fala.

Como pode um sujeito andar de bicicleta e ser cego? Podem não acreditar, mas o Di pedalava normalmente dentro da garagem do seu prédio. Ele memorizou todos os espaços e guardou o número de pedaladas que podia dar, era impressionante. Fomos crescendo e o Di foi surpreendendo a todos. Penta-campeão Brasileiro de futebol de salão, Bi-campeão Sul-americano de Futebol de Salão, Campeão Mundial de Futebol de salão, o Di não ficou só nisso não. Durante algum tempo virou atleta e seu esporte preferido era a corrida dos 100, 200 metros e provas de Pentatlo. Foi chamado para as Paraolimpíadas de Seul e só não foi ao pódio porque durante o aquecimento teve uma lesão. Seu tempo era melhor do que o corredor que venceu na época.

Em 1989 o Dí passou no vestibular na UFMG no curso de Fisioterapia. Como assim, fisioterapia?? Como pode uma pessoa cursar o curso de fisioterapia sendo cego??!! – Pois é, o Di fez e fez muito bem!! Foi o primeiro deficiente visual a completar o curso de fisioterapia na UFMG, aliás, acho que foi do Brasil!! Hoje o Di trabalha no Hospital das Clinicas, no Sara Kubitschek e passou em primeiro ligar no TRT em Minas (Tribunal Regional do Trabalho).

O cara é fera ou não é? Casado o Di tem três filhos e uma esposa magníficos. Brincalhão como ele não existe ninguém, há casos engraçadíssimos como do primeiro dia de aula quando se sentou no fundo da sala e o professor, escrevendo a matéria no quadro negro, perguntou: -“Vocês ai do fundo estão enxergando?” O Di, muito sacana, respondeu que não e ainda um colega sugeriu que o professor aumentasse o tamanho da letra no quadro. O professor assim o fez, e perguntou novamente: -“E agora melhorou, está dando para enxergar??” O Di, respondendo a verdade, falou que não! O professor então solicitou que o Di sentasse na primeira fila; Di levantou normalmente e assim o fez. Sem perceber nada, o professor perguntou novamente: “E agora, está enxergando? O Di respondeu: – “Não”. Cansado de escutar que o aluno não enxergava, o professor perguntou: – “Você é cego cara??!! – Sarcasticamente, o Di se manifestou: – “Sou, tem algum problema?!” Ao final todos ali estavam rindo da situação.

Outro caso engraçadíssimo é o da senhora idosa que pegou no seu braço e perguntou-lhe: -“Meu filho, você pode ajudar essa velha senhora a atravessar a rua, eu enxergo pouco e tenho medo, falou ela.” “Ironicamente o Di pensou“ Bom, enxergar eu não enxergo, mas medo eu não tenho, então o que custa ajudar!? Então o Di pegou no braço da senhora e se tocou a atravessar a rua, quando ao final, ele segurou a bengala e armou (a bengala de cego, normalmente é retrátil)!! A senhora, olhando aquilo teve um ataque de nervos, quase enfartou e perguntou: “-Você é cego, Deus nos ajude!!!??” E Di respondeu::-“ Amém dona”. Esse Di é da pá virada mesmo!

Esse é um atleta diferente ou não é? (breve fotos)

 Abraços do CorreGuto

Anúncios

31/05/2010 - Posted by | Correr

23 Comentários »

  1. Sou repórter em BH e gostaria do seu contato, para saber como localizo o “Di”, pois pensei em entrevistar esse atleta.
    Fico no aguardo!
    Obrigada!

    Patrícia patiscofield@yahoo.com.br

    Comentário por Patrícia Scofield | 08/10/2010 | Responder

  2. Se você se chama Gustavo e morava ao lado da casa do Edmundo, talves era vc mesmo quem lia as cartas coloridas e criativas que sua namorada escrevia da cidade de Salinas-MG, quando o Di era ainda muito jovem. O papel para as cartas era confeccionado a mão com um colorido vibrante e muito alegre. Eu e TODAS as suas amigas perguntávamos para que tanta trabalheira com as cores, já que o seu namorado era cego. E ela respondia com convicção: “Ele enxerga TUDO com o coração…”. Fico feliz em saber de todas as vitórias daquele menino que com a sua história de superação me faz hoje, compreender a grandeza das palavras daquele coração apaixonado. PARABÉNS pelo artigo, Guto! ADOREI!!!

    Comentário por Valéria | 09/09/2010 | Responder

    • Sou o Augusto e não Gustavo… Abraços

      Comentário por bloguto | 17/09/2010 | Responder

  3. eu quero ser uma corredora de atleta

    Comentário por tais | 20/08/2010 | Responder

  4. Guto, nada mais grandioso nesse blog do que falar do Di, que eu conheço e tenho por referência de superação, bom humor, generosidade, por aceitação da vida como ela é e dos acontecimentos que não estão ao nosso alcance. Ao Di, nosso amigo, vc é realmente um exemplo para todos nós. Perto de vc os meus, os nossos problemas são simplesmente problemas que a vida traz a todos, pois o mais importante de tudo é que vc é feliz! Um abraço de Lu.

    Comentário por Lu (esposa) | 27/06/2010 | Responder

  5. Eu precisei de muito tempo prá perceber como um cego o que é importante na vida. O Di é uma pessoa que todos gostariam de ter perto contaminando com seu bom humor.Aprender com os “Dis” da vida o que é ter que vencer já começando com grande dificuldade.Parar de reclamar da vida e seguir livre, sem medo de ser feliz. Parabéns Guto, pelo amigo, por voce e pelo post.
    Abraços
    Monica

    Comentário por Monica Davidovic | 06/06/2010 | Responder

  6. Esse cara é especial. Resolvido e com bom humor. Assim a vida vai. É um exemplo pois não é fácil superar com sobras as mazelas que a vida impõe. O primeiro impulso seria dizer que esse Di é Baleias, mas eu não seria presunçoso a tal ponto, ele é muito melhor do que todos nós. Abraço ao amigo DI. Miguel Delgado e Baleias.

    Comentário por Miguel Delgado e Baleias | 05/06/2010 | Responder

  7. Só não enxerga quem não quer ver. Essa é a maior prova que as diferenças não representam problemas, mas maneiras diversas de encarar o mundo, a vida.
    Di deve ser exemplo para muitos que sempre buscam desculpas para não seguir em frente.
    Parabéns Guto pelo seu relato. É muito importante vermos a vida como ela é.
    Saudações twittersrun!
    @ducau13

    Comentário por Maria do Carmo | 02/06/2010 | Responder

  8. É Guto, quem tem uma limitação dessas têm duas escolhas – se achar um injustiçado pela natureza ou encarar a vida e compensar a limitação desenvolvendo todas as outras habilidades. Seu amigo deu o exemplo, e certamente teve o apoio da família que nunca o condenou a ser uma pessoa limitada, taí o exemplo da bicicleta.

    Parabéns a ele, sua família e a você por nos presentear com esse post.

    Wagner – @corronarua
    http://corronarua.blogspot.com

    Comentário por Wagner castro | 02/06/2010 | Responder

  9. Guto bom dia camarada, que dizer que está varando madrugada em frente ao pc…rsss…madrugada fria é, então vamos esquentar, bora correr hein…rsss…
    Que história de vida e superação desse seu amigo DI e tem gente que nasce perfeito e ainda reclama da vida, vai entender essas pessoas, realmente o ser humano é compliacado…Parabéns ao DI.

    Bom feriado e boas corridas

    Jorge Cerqueira
    http://www.jmaratona.com

    Comentário por Jorge Cerqueira | 02/06/2010 | Responder

  10. Oi Guto,
    Parabéns pela escolha do assunto. Falar sobre este pessoal portador de necessidades especiais, que luta e vence os obstáculos, é um estímulo para todos.
    Assim como você tem o Di eu aqui tenho vários amigos deficiente visuais que treinam junto com nossa equipe. Alguns também grandes vitóriosos nas pistas como o Odair que já participou e ganhou medalhas em 2 paraolimpídas, e outros grandes vitóriosos na vida como o João que perdeu a visão a mais ou menos cinco anos e encontrou no atletismo uma forma de ter forças para vencer seus obstáculos.
    Tenho aprendido muito com eles, principalmente como ver o mundo da forma que eles veem e entender o que podemos fazer para melhorar a vida de todos.
    Bom, já deve ter percebido o quanto este assunto me empolga, e se deixar não paro de escrever.
    Novamente – Parabéns!

    Comentário por Daniela Graf | 01/06/2010 | Responder

  11. Muito legal este post !!!!
    Tive um amigo cego também na escola e ele era piadista como o Di e tenho uma amigo, o Alex, que quando vai correr, troca a perna…
    bjão

    Comentário por Claudinha | 01/06/2010 | Responder

  12. Show demais vc escrevendo é agradável ler seus textos.
    Parabéns pra vc e pra seu amigo que é o cara…
    Abç

    Comentário por Guilherme | 31/05/2010 | Responder

  13. Fala Guto,

    É desses exemplos que precisamos!!!
    Como é bom ver sempre o lado positivo das coisas e assim superar as dificuldades com garra e tranquilidade.
    Obrigado por nos apresentar esse grande amigo e atleta!

    Abraço,

    Joca
    @blogdojoca

    Comentário por Joca-FLA | 31/05/2010 | Responder

  14. Espetacular o seu amigo Dí!!! A gente leva a vida do jeito que escolhe, né! Vc escolhe lutar, se divertir, correr, fazer coisas… ou então não nada e fica reclamando…

    Comentário por Ivana | 31/05/2010 | Responder

  15. Capitão Guto!
    O Di, é a pessoa para ter como referência…qualquer dificuldade e problema fica pequeno.
    Grande abraço
    Edu Rocha
    @rocha_eduardo

    Comentário por Eduardo Rocha | 31/05/2010 | Responder

  16. Sorte sua de ter um amigo como o Di e sorte dele de ter voce como amigo!!! Voces se merecem! Adorei o texto Gutão!Beijo da tia Biba.

    Comentário por Biba | 31/05/2010 | Responder

  17. Linda lição de vida! Demais!!

    Comentário por Annette Loures | 31/05/2010 | Responder

  18. Sensacional … Bela Lição de Vida e Superação de todas as dificuldades e “barreiras” !!!

    E a passagem da velhinha hilário … Esse Luis Edmundo é digno de ser personagem de entrevistas na televisão!!!

    Parabéns pela Homenagem !!!

    Comentário por Eduardo Acacio Silva | 31/05/2010 | Responder

  19. Uma prova que não podemos nós deixar abater ou mesmo de viver por obstáculos colocados em nossas vidas.
    No almoço do #TwittersRun ela podia ser o convidado especial!
    Abraço

    Comentário por Sérgio Machado Jr. | 31/05/2010 | Responder

  20. Gutao, que relato bacana!
    Sim, essa é um atleta diferente, humano, de carna e osso e cheio de vida e liçoes para todos nós!
    Parabéns,Di!

    Comentário por Carol Borges | 31/05/2010 | Responder

  21. hahah Muito boa Guto! Deu vontade de conhecer essa figura.
    E as Meias e Maratonas da vida, ele não corre?

    Comentário por Rafa (rafanubi) | 31/05/2010 | Responder

  22. São pessoas como DI que fazem o mundo um pouco melhor , milhões de pesssoas sem nenhum tipo de deficiencia encontram obstáculos em tudo , O Di que poderia reclamar não o faz , ele usou um problema para ser muito melhor.
    PARABÉNS DI!!! SEM TE CONHECER SOU SEU FÃ
    Guto sorte sua de ter um amigo como o DI
    Abraços
    Fábio Prado

    Comentário por fabio da silva prado junior | 31/05/2010 | Responder


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: